Maria Rachel Coelho: Cidadania e justiça!

Galerias de Fotos

Porto Velho - Rondônia
Atualizada em 03/06/2013

Porto Velho é a capital do Estado de Rondônia e está localizada na Bacia do Rio Amazonas. O Rio Madeira é o principal rio que banha o município, vindo do sul daBolívia.

Situa-se à margem direita do Rio Madeira. Foi fundada pela empresa americana Madeira Mamoré Railway Company em 4 de julho de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, comandada pelo magnata norte-americano Percival Farquhar. Em 2 de outubro de 1914 foi legalmente criada como um município do Amazonas, especificamente, Humaitá, transformando-se em capital do estado de Rondônia em 1943, quando criou-se o Território Federal do Guaporé.

Porto Velho, portanto, nasce e cresce a partir das instalações ferroviárias da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Graças aos tantos ciclos econômicos que se seguiram (exploração de borracha e posteriormente de cassiterita e de ouro).

Nas fotos deste álbum pode-se ver algumas atrações turísticas como As Três Caixas D‘Água, um dos mais importantes pontos turísticos de Porto Velho. As Três Caixas D‘Água vieram em módulos metálicos dos Estados Unidos.

Também conhecidas como As Três Marias, as caixas d‘água ficam no centro da cidade, na praça de mesmo nome. A primeira foi erguida em 1910 e as outras duas em 1912. Foram projetadas e construídas pela Chicago Bridge & Iron Works, de Chicago conforme informações contidas em placa de ferro fundido, cravadas nas pilastras de cada uma delas. São três tanques de forma cilíndrica, cobertos com chapas de metal de forma cônica, e a base em formato côncavo. Cada tanque está elevado do chão por quatro colunas de ferro feitas em treliça sobre fundação de concreto. Estão circundados à altura do bojo, por uma passarela com parapeito metálico de treliça por onde se chega através de uma escada. Cada reservatório possui capacidade para 200.000 litros e serviram para abastecer a cidade de Porto Velho até o ano de 1957, funcionando por ação da gravidade.

O Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré se localiza na Praça da EFMM. Apesar de ter sido um centro ferroviário, a cidade não conta mais com o passeio detrem, que foi desativado por falta de conservação da linha, que acabou ruindo por conta de um temporal.

O Museu reúne os pertences e objetos da Ferrovia do Diabo que foi construída no início do século XX. Constitui-se numa das principais atrações históricas de Rondônia, possuindo várias instalações que podem ser visitadas.
A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré foi uma das construções mais difíceis da engenharia mundial, marcada pelo alto custo em vidas humanas.

É um verdadeiro marco do ciclo da borracha, onde a extração do látex da seringueira constituía-se em importante produto estratégico da Amazônia - embora seu fato causador tenha sido o acordo Brasil-Bolívia, para a solução da Questão do Acre, que contou com a participação diplomática do Barão do Rio Branco.

Na EFMM encontramos: Prédio das oficinas; Armazéns de carga e descarga e a Estação de Porto Velho.

O Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira é o mais importante do Estado e recebe voos diários.

Também visitamos o Mercado Central onde se comercializa produtos típicos da região norte. O mercado é patrimônio cultural da população, e o Mercado cultural, construído em 1915 e destruído por um incêndio em 1966, com apenas dois boxes resistindo às chamas. Encontra-se reconstruído com a concepção arquitetônica que lembrava o estilo " art décor" da primeira metade do século XX. O espaço é destinado a eventos culturais, artesanato e ótimo para quem quer tomar uma cerveja bem gelada e ouvir uma música ao vivo.

Os mirantes ficam na parte alta da margem direita do rio Madeira e de lá se tem uma vista deslumbrante do pôr-do-sol no rio Madeira famoso para os namorados apaixonados por deixar a cor do Madeira, dourada.

Finalmente, visitamos e navegamos quase todos os dias pelo rio Madeira, grande estrela da cidade. Foi através dele que os primeiros exploradores chegaram em Porto Velho e desde então tem contribuído para o desenvolvimento da cidade. É o maior afluente do Rio Amazonas. É mágico, enigmático, belo e cativante. Com 1450 km de extensão, abriga fauna rica, tendo como destaque o "Boto Cor de Rosa". A magia da cordilheira dos andes, a natureza em troncos que lhe deram o nome, a força das corredeiras e riquíssima fauna e flora em suas margens que o fazem o maior atrativo da cidade.