Maria Rachel Coelho: Cidadania e justiça!

Eventos

1º SEMINÁRIO ÍNDIOS EM CONTEXTO URBANO
25/10/2009

Ocorreu ontem, 24 de outubro, no Antigo Museu do Índio, situado na Rua Mata Machado, em frente ao Maracanã,o 1º Seminário do ponto de cultura: Índios Urbanos.

O encontro foi organizado por grupos que se mobilizaram para proteger o espaço ameaçado de demolição.

Compareceram ao Seminário durante todo o dia e a noite, alunos das Universidades: UERJ, UFRJ e UFF, de cursos como Ciências Sociais, Comunicação e Letras, além de ativistas do Movimento Indígena.

Também apareceu no evento o diretor e cineasta Sérgio Péo, que mostrou total solidariedade a causa e se colocou à disposição para qualquer apoio.

O Seminário reuniu ainda representantes de 8 etnias: Guajajara; Kamaiurá; Guarani; Xavante; Pataxó; Baré; Kariri; Potiguara.

A Professora Marília Facó Soares da UFRJ Doutora na área de Lingüística, abordou a língua Tikuna, que, falada pelo maior grupo indígena do Brasil, possui também falantes no Peru e na Colômbia. Marília também é profunda conhecedora das línguas da família Tupi-Guarani, assim como línguas da família linguística Pano.

Carolina de Jesus, da etnia Potiguara, emocionou a todos ao ler o manifesto de Darcy Ribeiro, na inauguração do Museu do Índio em 19 de abril de 1952, documento onde Darcy, defendeu: "o Museu é o primeiro devotado não a mostrar bizarrices etnográficas, mas as altas contribuições culturais dos indígenas à nossa cultura, e sobretudo lutar contra o preconceito que apresenta os índios como atrasados, preguiçosos e desconfiados".


Tonico Benites, da etnia Guarani Kaiowa , Paula Faria, estudante de jornalismo e ciência política da UFF, faz parte do nosso Grupo de Trabalho de divulgação; Mayra, da etnia Guajajara e Rachel Coelho.

Foto 15 - Rachel Coelho com Mutuá, da etnia kuikuro. Mutuá é neto de Nahú Kuikuro. Seu avô Nahú, acompanhou os irmãos Leonardo, Cláudio e Orlando Villas Boas, o Marechal Rondon e Darcy Ribeiro na criação do Parque Nacional do Xingu.

Foto 16 - Benjamim Ginoux; Gabriel Locke e Mirco kuzih, apaixonados e apoiadores da causa indígena.

Foto 17 - Gabriel, Mutuá, Meri Puri e Mirco. Os alemães já descobriram e valorizam o que os brasileiros ainda não perceberam.

Foto 22 - Gesa Linhares Corrêa, Ruiter Rodrigues, da Rede Flor da Palavra e Carolina.

Foto 23 - Os dois computadores que já funcionam no casarão e que foram doados pela aluna Stella Maris da Universidade Estácio de Sá, Campus Menezes Cortes

Foto 25 - O alemão Mirco se mostrou totalmente a vontade e integrado com os costumes de nosso povo.

"Ninguém respeita aquilo que não conhece. Precisamos mostrar quem somos, a força, a beleza, a riqueza da nossa cultura. Só assim vão entender e admirar o que temos."

Wabuá Xavante

Foto 30 - A noite terminou com peixe na brasa e Riremê Sererowa puxando um canto Xavante.

Se você quiser, clique nas fotos e leia a legenda.

ESTE FOI O 1º SEMINÁRIO E APARTIR DELE DAREMOS SEGUIMENTO A VÁRIOS CURSOS NO LOCAL, DE LÍNGUAS, CONTOS DE HISTÓRIA, DANÇA, CANTO E CULTURA INDÍGENA.

ESTE ESPAÇO É HISTÓRICO E ÚNICO MOMENTO VIVO DE NOSSOS ANTEPASSADOS ENTERRADOS EM TODO CONCRETO DO RIO DE JANEIRO.