Maria Rachel Coelho: Cidadania e justiça!

Artigos

O que são os consórcios?
Maria Rachel Coelho - 29/09/2011

Consórcio é um grupo de pessoas físicas ou jurídicas que se reúnem, para aquisição de bens através de suas contribuições mensais dentro de um período pré-estabelecido. No caso de automóveis, a compra é parcelada e programada do carro zero km, onde o custo de veículo é diluído por um longo prazo de pagamento.
É um sistema usado por pessoas que desejam fazer a compra planejada do veículo, mas que não queiram arcar com prestações elevadas ou para aqueles que não necessitem do veículo de imediato.

Funcionam por meio de formação de grupos e quotas. O grupo é formado por um número pré-determinado de pessoas, que recebem quotas individuais, e pagam o veículo em prestações mensais.

O sistema de consórcio é regularizado e fiscalizado pelo Banco Central do Brasil.

A carta de crédito é o documento representativo do valor disponível para a aquisição do bem e é disponibilizada para compra do bem após apresentação da garantia e documentação prevista no regulamento. A carta de crédito é como se fosse dinheiro vivo. Com ela, o consorciado contemplado pode adquirir qualquer modelo de veículo (da mesma categoria), na data que quiser e na revendedora de sua escolha (no caso de consórcio de veículos).

O consórcio dá a possibilidade de adquirir mais de uma carta de crédito, mediante análise prévia, no entanto, se for para aquisição de um único bem, as cotas devem ser do mesmo grupo.

Todas as informações de um plano de consórcio devem ser informadas ao consorciado através de uma senha exclusiva para acesso via internet, extratos mensais, atendimento eletrônico e central de relacionamento. Pode também ser oferecido seguro de vida aos consorciados,
cobertura por morte natural ou acidental e invalidez, permanente e total. Nos casos de seguro, ocorrendo sinistro o saldo devedor será quitado de acordo com o percentual de participação da cota. O seguro é exclusivo para Pessoa Física, mediante análise prévia da administradora.

O índice de correção de parcelas e reajustes dos consórcios ocorrem da seguinte forma: no de imóveis a correção se dá pelo INCC (Índice Nacional dos Custos da Construção) a cada período de 12 meses a contar da data de constituição do grupo; nos consórcios de automóveis, são corrigidos de acordo com a tabela do fabricante ou tabela Fipe, ou, seja, ao contrário dos financiamentos prefixados, que têm prestações fixas em reais, as prestações de consórcio sofrem reajustes quando há aumento do preço de fábrica do veículo.

O consorciado poderá antecipar o pagamento do saldo devedor na ordem inversa a contar da última. A antecipação de pagamentos não dará direito a contemplação da cota.

Nos consórcios de automóveis, os mesmos podem ser adquiridos, assim como, utilitários, caminhões e outros veículos automotores, novos e usados (até 03 anos de uso a contar da data da fabricação).


Nos Consórcios de Imóveis, podem ser adquiridos: imóvel residencial, comercial ou veraneio, novo ou usado, terreno, ou ainda para construção ou reforma.


Esses bens podem ser adquiridos em todo território nacional. No caso de imóvel, o mesmo, será avaliado por engenheiro autorizado pelo Consórcio e no caso de veículos usados o consorciado deverá apresentar avaliação de uma concessionária autorizada.

O imóvel fica hipotecado ou alienado e o veículo alienado até a quitação do saldo devedor.


O consorciado contemplado destinará a diferença do crédito para pagar parcelas vincendas , na ordem inversa a contar da última, ou se tiver quitado seu saldo devedor, a mesma ser -lhe -á restituída.


O FGTS também pode ser utilizado para complemento do crédito e pagamento do lance, desde que cumpridas as normas estabelecidas pela Curadoria da Caixa Econômica Federal.


Em casos de veículos podem ser arrematados por lances (uma antecipação em dinheiro) ou por sorteio entre os participantes. O consorciado contemplado recebe uma carta de crédito no valor correspondente ao veículo.

O 1º sorteio é realizado na 1ª assembléia de constituição do grupo. A partir da 2ª assembléia a contemplação por sorteio ocorre mensalmente através da extração da loteria federal.

O lance pode ser ofertado:

•Pessoalmente no momento da assembléia
•via internet (até 12 horas antes da assembléia utilizando-se da senha de acesso)
•por meio de atendimento eletrônico
Os lances deverão ser ofertados em percentuais sobre o valor do crédito mais as devidas taxas. É considerado vencedor o lance que representar o maior percentual de amortização.

Os recursos provenientes do lance vencedor serão considerados como antecipação de parcela na ordem inversa a contar da última reduzindo o prazo de pagamento. A diluição será proporcionalmente nas parcelas vincendas, reduzindo o valor das parcelas.
Lance diluído é a redução no valor da parcela não implicando na redução do prazo de pagamento, condição válida para alguns grupos de imóveis e automóveis, conforme respectivo contrato.

O consorciado pode utilizar até 30% do seu crédito para pagamento do seu lance (exceto para os grupos de Plano Aluguel e Consórcio de Automóvel). A contemplação será realizada mensalmente por meio de sorteio e lance de acordo com a disponibilidade financeira do grupo.

Após a contemplação o consorciado receberá por correio o manual de orientações ao contemplado com os esclarecimentos e formulários necessário para a aquisição do bem. Não há prazo definido para a aquisição do bem após a contemplação. O consorciado pode adquirir o bem até o encerramento do grupo. O que ocorre após a contemplação é a correção do crédito, que será atualizado através de rendimento das aplicações financeiras.

Seguem algumas vantagens e desvantagens em consórcios envolvendo automóveis (por ser mais comum):

Vantagens:
a) Permite o repasse (venda) da quota em caso de dificuldade de pagamento.
b) Se quiser, o consorciado pode antecipar o pagamento das prestações.
c) Boa opção de compra no caso de economia estável e baixa inflação.
d) Permite a troca do modelo ao ser contemplado.

Desvantagens:
a) Prazo de pagamento muito longo.
b) Nem sempre se consegue retirar o carro de imediato.
c) Sujeito a aumentos freqüentes em períodos de inflação elevada.