Maria Rachel Coelho: Cidadania e justiça!

Artigos

Seja um consumidor consciente. Veja como não se enrolar em dívidas
Maria Rachel Coelho - 18/08/2011

Seja um consumidor consciente. Veja como não se enrolar em dívidas.


• Menos compras por impulso nas promoções
Quando cái o preço do produto que você necessita é uma boa hora para a aquisição. Mas nem por isso você precisa sair comprando mais do que precisa.

• O dinheiro que você economiza comprando só o que realmente necessita pode ser investido em alguma forma de poupança ou até em outras promoções quando realmente valer a pena. O importante é poder consumir agora e sempre. A poupança pode ajudar nisso.

• Nem sempre vale a pena comprar porque está barato
Por exemplo, compre algum objeto que realmente irá usar, para amanhã não deixá-lo encostado.

Dica: Prefira peças mais básicas ou opte por aquela que você tem certeza de que irá usar, independentemente das tendências. Agindo sem pensar, o barato pode sair caro!

Preço baixo e validade em dia:

É sempre vantajoso aproveitar os preços baixos em alimentos. Esteja atento ao prazo de validade e se você vai conseguir consumir o produto até seu vencimento. Outra dica é comprar apenas os alimentos que você tem certeza de que sua família irá consumir e na quantidade que precisa. Além de não ser saudável ficar com o alimento "parado" por muito tempo, você tem mais dinheiro na mão para o dia a dia.

Datas comemorativas: antecipe suas compras e aproveite as oportunidades:
Dia das Mães, dos Pais, Páscoa, Dia dos Namorados, das Crianças e Natal. Se você já sabe que vai gastar mais, então, quando aparecer uma oportunidade muito boa, como um presente, antecipe sua compra. Você ganha duas vezes porque também evita os preços mais altos de última hora.

Compras a prazo ou à vista?

Não há regra que defina se o melhor é comprar a prazo ou à vista. Essa decisão depende da situação financeira, da necessidade de comprar, do planejamento de gastos e dos juros cobrados pelo financiamento.

Como diferenciar a compra à vista e a prazo?

A compra à vista é aquela em que você paga de uma vez só. Já a compra a prazo é aquela em que você divide o valor da compra em parcelas ou prestações.

Por isso, antes de decidir pense nas suas contas mensais, nas suas reservas, no seu momento de vida e na real necessidade da sua compra.

Mas como os juros afetam o consumidor?
Os juros são o valor que você paga para antecipar uma compra que só poderia ser feita no futuro. Por isso, os juros aumentam o valor total que você paga, mas tornam a compra possível. Causam um impacto menor no orçamento por estarem divididos nas prestações.

Comprar parcelado sempre é a melhor opção?

A compra a prazo ou parcelada é uma boa opção quando você não possui reservada a quantia para comprar o produto. Ou quando não desequilibra quanto você ganha em relação a quanto você gasta.

Coloque cada nova prestação em suas contas, mesmo as pequenas, que podem parecer insignificantes, mas que fazem uma grande diferença quando são somadas a todas as suas contas.

E quando a compra à vista é mais vantajosa?

A compra à vista é vantajosa quando você possui reservas para pagar o valor total do produto e quando você consegue um bom desconto, sem prejudicar ou atrasar outras contas que precisam ser pagas. Outra vantagem é não comprometer uma parte da renda durante vários meses.

Como fazer economia sem sofrer

Economia não é deixar de comprar o que necessita, mas apenas adiar esse gasto e garantir, de forma consciente, o consumo no futuro. Confira algumas dicas para começar a poupar:
Crie metas e seja amigo de seu bolso
É importante definir quanto será poupado por mês e para quê. Isso ajuda a não desistir no meio do caminho.

Mesmo que demore mais tempo para alcançar o objetivo, separe uma quantia que não pese tanto no orçamento. Querer poupar já é um grande passo, seja qual for a quantia.
Esqueça esse dinheiro

Não conte com o dinheiro que vai guardar. Aquele valor que irá virar poupança não deve ser usado a cada nova oportunidade de consumo que surgir. Isso ajuda você a juntar seu dinheiro.
Dinheiro guardado em casa é dinheiro parado

Juntar dinheiro debaixo do colchão, em uma gaveta ou em uma caixinha parece prático, mas nem sempre é uma boa ideia. Além de problemas como roubo, incêndio, enchente etc., com o passar do tempo, o dinheiro vai perdendo o seu valor de compra por conta da inflação. Uma boa opção são os produtos e serviços bancários, como poupança ou uma previdência complementar. Converse com o gerente do seu banco e veja qual a melhor alternativa.

Ter um dinheiro guardado é uma forma de garantir um futuro mais tranquilo, poder investir na educação de seus filhos, comprar bens necessários (estudo, viagem, imóvel) ou abrir um negócio próprio. Pense nisso.

Compras parceladas

Ao fazer uma compra parcelada, você se preocupa apenas com o valor da prestação e se ele caberá no seu orçamento?

Se sua resposta for sim, saiba que também é preciso analisar outro fator para fazer uma boa compra: as taxas cobradas pelas lojas no parcelamento do item.

Assim como você pesquisa os preços antes de adquirir um produto ou serviço, quando escolhe comprar a prazo, precisa verificar também a menor taxa de juros embutida nas parcelas.

Compras no carnê

Entre as várias opções de pagamento que as lojas oferecem aos seus clientes, uma delas é o carnê de pagamento.

A loja faz uma análise do seu crédito para saber se é possível liberar para você. Nesse sentido, pode consultar se seu nome está em dia (limpo) e outros dados.

Caso sua avaliação seja positiva, a loja libera a opção de pagamento em carnê. Antes de aceitar, saiba quais os juros que serão cobrados. Por ser uma modalidade de pagamento diferente, os juros e o prazo máximo são diferentes dos cobrados por meio de cartão de crédito e cheques.

O mais importante é planejar

Com tantas opções de pagamento no mercado, você pode achar que, mesmo depois de usar todo o limite do seu cartão de crédito, comprar um pouco mais e pagar com carnê é uma boa alternativa pelas condições de pagamento em muitas vezes.

Mas para isso, vale o bom senso e muito planejamento também. Antes de fazer uma nova compra parcelada, some todas as contas que você ainda está pagando mensalmente, como fatura do cartão de crédito e cheques pré-datados. Já some também com a previsão da parcela da possível compra no carnê.

Crédito na praça é bom e estará disponível toda vez que você precisar, caso mantenha suas contas em dias.

Segurança nas compras pela internet

As compras pela internet são muito comuns. Com o aperfeiçoamento do setor, a desconfiança diminui à medida em que as vendas aumentam: de 2009 para 2010, o comércio online cresceu cerca de 40%, com o valor médio de cada compra acima de R$ 300,00, provando que as pessoas passaram a comprar mais produtos de alto valor.

As principais vantagens são a maior variedade de produtos e a facilidade na pesquisa de preços, que estão mais próximos quando você troca as longas caminhadas pelo acesso a vários sites sem sair do seu sofá, facilitando o planejamento das compras. Lembrando também que os sites especializados em vendas gastam menos com a manutenção de espaços físicos e com funcionários, o que pode, eventualmente, resultar em preços mais baratos.

Os cuidados necessários

Quando falamos em compras online também falamos de não poder tocar e conhecer de perto o produto que você está adquirindo. Mas, com o aperfeiçoamento dos sistemas de comércio eletrônico (loja virtual) já está mais fácil conhecer bem o produto da tela do computador.

Caso o mesmo não chegue em sua casa da maneira esperada, trocas, compensação ou reembolso podem ser garantidos, como em uma loja física, só que por outros meios, geralmente, telefone. Você tem por direito sete dias para desistir do produto, informando e justificando ao site de compras sua insatisfação.

O segredo principal para garantir uma compra satisfatória é prestar atenção nas regras de compra dos sites antes de iniciar qualquer pesquisa. Esse é o documento que mostra de que maneira a empresa se compromete a atender o seu cliente e como ela vai resolver eventuais problemas. Leia com atenção para que você saiba exatamente o que cobrar, caso aconteça algum imprevisto.

Garanta a segurança dos seus dados

Outra característica da compra online que provoca desconfiança é o cadastro de dados pessoais na internet, como números de CPF e de cartão de crédito. Para se prevenir, leia com atenção as dicas dos sites de compra.

Procure no próprio site informações que expliquem de que maneira eles garantem a segurança e privacidade dos seus dados. Evite cadastrar esses dados em computadores de outras pessoas ou de uso coletivo. Cheque a própria segurança do seu computador, como a validade dos programas de antivírus.

Finalmente, tenha sempre em mãos os contatos dos órgãos aos quais você irá recorrer caso aconteça algum imprevisto, tanto os da empresa que vendeu o produto quanto os das instituições de defesa do consumidor. Se a loja virtual oferece muita comodidade, se planeje para evitar que as facilidades se transformem em incômodos futuros.